Anankê – Promovendo Saúde Mental em Brasília desde 1991

Endereço:

SCRLN 712/713 Bloco C, Lojas 4 e 5 Brasília-DF CEP: 70.760-630

Internação Psiquiátrica

 

Público Alvo

Pacientes em crise que necessitam de cuidados intensivos, por apresentarem riscos para si mesmos ou para terceiros.

 

Objetivos

Acolher e tratar pacientes em crise, oferecendo possibilidades de escuta e elaboração do sofrimento.

Estabelecer vínculos terapêuticos capazes de sustentar o planejamento e o encaminhamento de tratamentos de longo prazo em hospitais dia e ambulatórios.

Prestar assistência às famílias levando-as a participar efetivamente do tratamento.

 

Como Funciona

Assim que chegam à Unidade, o paciente e seus familiares são acolhidos por um medico, um psicologo e pela equipe de enfermagem. Feita a avaliação inicial sobre a indicação de internação, processa-se a mesma quando for o caso, oferecendo ao paciente e família, as informações e orientações sobre o funcionamento da Unidade, suas normas e rotinas.

 

Acolhimento

Nesta primeira fase, o paciente fica no leito de observação, com acompanhamento intensivo. Entretanto, é convidado a participar, na medida de suas possibilidades, da convivência cotidiana e das atividades terapêuticas oferecidas. Avaliações psiquiátricas são diárias, visando a adequação da medicação, bem como, a evolução do tratamento.

A família é atendida, juntamente com o paciente, uma vez por semana, além de participar do Grupo de Familiares que acontece nas quintas feiras pela  manhã.

 

Tratamento

Aqui discriminada apenas para efeito didático, vez que o acolhimento também é parte do tratamento, esta fase inicia-se pela execução do projeto terapêutico delineado, levando-se em conta as elaborações feitas em reuniões clinicas semanais, que contam com a participação de toda a equipe. Em geral, nesta fase, o paciente já deixou o leito de observação e está alojado na casa principal.

A participação nas atividades terapêuticas é cada vez mais estimulada, tendo em vista a possibilidade de  elaboração das angústias e afetos transbordantes presentes na crise,  bem como, do sentido do tratamento, do projeto terapêutico e da alta. As dificuldades e os conflitos advindos do convívio diário  têm  no Grupo Institucional, que acontece nas manhãs das quartas feiras, amplas possibilidades de escuta e elaboração.

 

Descreve-se a seguir as principais atividades desenvolvidas rotineiramente. Observa-se que todas elas são conduzidas por profissionais especializados com larga experiência em saúde mental.

Movi-Mente - Atividades físicas que utilizam o movimento como meio para atingir o bem estar. Técnicas e movimentos de vários esportes são utilizados para este fim. Acontecem logo no início das  manhãs de segunda, quarta e sexta feira.

Atividades Criativas - são realizadas especialmente nos ateliês de artes plásticas e escultura - visam o agenciamento do potencial criativo de cada um, como forma de expressão genuína da subjetividade.

Oficina de “Repercussão” - Os sons e os ritmos são aqui utilizados para promover “encontros” : possibilidades de escutar e ser escutado.

Oficina de Música  -   Esta  forma de expressão artística é utilizada como facilitadora do contato com o “mundo interno” de cada um, ao mesmo tempo que viabiliza trocas, acolhimento e relaxamento do grupo. Cada um  vai elaborando sua “trilha sonora” e compartilhando-a com os demais.

Grupo Institucional - A convivência cotidiana, os conflitos e angústias dela decorrentes são o tema deste grupo. Trata-se de um espaço democrático de questionamento e aprendizado da aceitação e do respeito às diferenças. Busca-se, através da participação ativa,  construir possibilidades de intervenção no coletivo que permitam uma convivência pacífica e solidária.

Grupo de Encontro - Os finais de semana numa unidade de internação são especialmente difíceis. A começar pelas visitas dos familiares que acontecem nos sábados gerando, quase sempre, angústias e conflitos. Nas segundas feiras pela manhã, todos os pacientes se reúnem neste grupo para falar das dificuldades vividas nos fins de semana.

Passeios - uma vez por semana, mais especificamente, nas tardes de quarta feira, pacientes e terapeutas saem da unidade para participarem de eventos culturais e de lazer nos espaços públicos da cidade. Uma agenda é pré definida com todos. Aqueles pacientes que não estão em condições para sair  ficam na unidade e participam de alguma atividade  lúdica.

Oficina da Terra - Preparar a terra, plantar e colher verduras, frutas e legumes que serão utilizados na alimentação de todos, são atividades que mobilizam muitos pacientes e têm uma função terapêutica importante.

Grupo de Nutrição - Realizado quinzenalmente, este grupo do qual participam pacientes, nutricionista, funcionários da cozinha e administrativos, aborda questões referentes ao cardápio, orientações sobre alimentação saudável, bem como, sobre as dificuldades surgidas no dia a dia relacionadas às refeições.

Roda de Leitura – Em que os pacientes apresentam textos de sua autoria ou escolhem outros textos, compartilhando-os com os demais. Realiza-se nas manhãs de sexta feira como forma de preparação para o fim de semana que se aproxima.

Grupos de Psicoterapia : A depender do momento em que o paciente se encontra no seu tratamento, ele participa de um destes dois grupos: Grupo “E Agora” ou Grupo “E Depois”.

No “E Agora” os pacientes são estimulados a falar e compartilhar com os demais sobre a crise e as circunstâncias geradoras da necessidade da internação. Já no “E Depois” trata-se de planejar e preparar-se para a alta, tendo em conta a necessidade de dar continuidade ao tratamento fora da unidade, para evitar novas crises que redundem em  novas internações. As sessões de cada grupo são realizadas duas vezes por semana e coordenadas por dois psicólogos.

Grupo de Familiares -  A participação dos familiares neste grupo é de grande importância para o bom andamento dos tratamentos. É um espaço de acolhimento, de trocas, de orientação e informação sobre o adoecimento psíquico e sobre a evolução dos pacientes. Este grupo reune-se uma vez por semana.

 

ALTA

A alta é cuidadosamente preparada, com o paciente e sua família. O planejamento dos tratamentos de longo prazo já deve estar concluído e os contatos e encaminhamentos para continuidade do tratamento no pós crise já realizados. Este é um trabalho  fundamental, pois o que se pretende, a médio e longo prazo, é evitar o desencadeamento de novas crises que redundem em novas internações.

 

A Equipe Terapêutica

É composta por profissionais de diferentes especialidades: psicólogos, psicanalistas, psiquiatras, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionista, professor de educação física, artistas, todos com formação e experiência em saúde mental.

As supervisões, as reuniões clínicas e de estudo de caso são consideradas de igual importância ao trabalho realizado com os pacientes. São nestas ocasiões que se constroem as condições necessárias à elaboração teórico-clínica que sustenta a direção dos tratamentos.